“Bolhas” do Sertões 2020 conectam-se à Internet por meio de serviços da Go2neXt Digital Innovation

Com a promessa de disputa equilibrada e muita emoção, começa hoje, 30 de outubro, no autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu (SP), a 28ª edição do Sertões (Rally dos Sertões), o maior rally cross country das Américas, que percorrerá quase 5 mil quilômetros, em sete etapas, por terrenos dos mais variados, até a chegada em Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses, no dia 7 de novembro.

go2next - “Bolhas” do Sertões 2020 conectam-se à Internet por meio de serviços da Go2neXt Digital Innovation

Com a promessa de disputa equilibrada e muita emoção, começa hoje, 30 de outubro, no autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu (SP), a 28ª edição do Sertões (Rally dos Sertões), o maior rally cross country das Américas, que percorrerá quase 5 mil quilômetros, em sete etapas, por terrenos dos mais variados, até a chegada em Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses, no dia 7 de novembro.

 

Para dar suporte a essa maratona, há toda uma infraestrutura de alta tecnologia. A Hughes do Brasil, subsidiária da Hughes Network Systems LCC, fornecerá três antenas de banda Ka que servirão para transmitir imagens ao vivo, abastecer o site do rally com informações da corrida, posição dos pilotos, telemetria e prover internet para a equipe do torneio nos pontos de largada e chegada.

 

Devido à pandemia da Covid-19, o Sertões desse ano é realizado em um formato diferente das edições anteriores: o percurso avançará de “bolha em bolha”, diferente do modelo tradicional de cidade em cidade, no qual não haverá qualquer tipo de interação com o público local. A edição 2020 conta com um protocolo de segurança especial de dez medidas, desde o controle diário de temperatura dos competidores até o abastecimento dos veículos somente em postos credenciados. Além disso, o rally das Américas vai se transformar em Rally da Solidariedade, pois vai levar cestas básicas e telemedicina a lugares remotos e carentes do Brasil.

 

 

Para Rafael Guimarães, presidente da Hughes do Brasil, a empresa considera a competição mais uma oportunidade de levar internet via satélite a todos os cantos do país, principalmente para as famílias que vivem em áreas de difícil acesso, e garantir que as pessoas possam acompanhar em tempo real o trajeto dos pilotos do Sertões. “A tecnologia da Hughes tem como missão conectar pontos remotos do país que sofrem com a falta de conectividade e tecnologia”, conclui.

 

BOLHAS – A Go2neXt proverá serviços digitais às 1500 pessoas que participarão do Sertões 2020. No percurso, há oito “bolhas”. São ambientes totalmente conectados onde só entrarão pessoas cadastradas e previamente testadas em relação à Covid-19. Essas bolhas serão configuradas em áreas rurais e remotas localizadas entre os estados de São Paulo e Maranhão.

 

“Cada bolha é uma minicidade onde a distância social entre as pessoas e o compartilhamento de todas as informações sobre o Sertões serão suportados por Apps. A Internet tem um papel crítico nesse contexto”, explica Paulo Pichini, CEO & presidente da Go2neXt Digital Innovation.

 

Na visão de Pichini, nenhuma competição esportiva pode acontecer este ano sem o uso das mais inovadoras soluções digitais. “O grau de digitalização do Sertões 2020 se compara ao que foi realizado, por exemplo, na NBA, nos EUA. Essa conquista mostra a excelência da cultura digital brasileira e nossa capacidade de superação. Vamos levar para a trilha 4×4 do Sertões a mesma qualidade de serviços digitais que usufruímos no centro financeiro da cidade de São Paulo”.

 

“Todos os grandes eventos esportivos estão se reinventando, com o Sertões não é diferente. Vamos nos deslocar com toda segurança para ativar as economias locais e levar cuidado a quem precisa”, diz Joaquim Monteiro, CEO do Sertões. “Adiar a prova, em tese a opção mais fácil, seria abandonar quem sempre nos acolheu.”

 

As bolhas do Sertões 2020 são itinerantes e de curta duração. Cada bolha entra em operação na manhã de um dia e é encerrada na manhã do dia seguinte; uma hora depois do fechamento da bolha anterior, um novo acampamento isolado já deve estar operacional, pronto para acolher as equipes da organização do evento, times de cronometragem, equipes de competidores e da TV Sertões. Trata-se de um grande desafio. Por causa da pandemia, as bolhas serão organizadas em áreas isoladas. Cada equipe participante terá de ser completamente autossuficiente em relação à energia elétrica e água, por exemplo.

 

Para Vinicius De Simoni, diretor de operações da Go2neXt, esse é um dos projetos mais desafiadores empreendidos por seu time. “A inovação depende de planejamento e rigor para produzir os resultados desejados”, ensina De Simoni. “Na edição do Sertões deste ano, chegamos a um grau de detalhamento muito alto. O desafio de organizar oito bolhas em dias consecutivos e com distância de centenas de quilômetros entre cada minicidade exige muita agilidade e o uso das mais automatizadas soluções de TI e Telecomunicações”. Isso inclui a presença do caminhão TechTruck2Go, o data center móvel da Go2neXt que operará em redundância com o data center da organização do Sertões 2020, atuando também como centro de monitoramento e spare parts das várias redes desta disputa. A equipe Go2neXt estará presente on-site 24 horas por dia ao longo de 15 dias, antes mesmo do início da prova. O período entre os dias 26 e 30 foi essencial para a equipe Go2neXt trabalhar localmente na rede.

 

A infraestrutura digital projetada, implementada e gerenciada pela equipe Go2neXt ao longo do Sertões 2020, conta com o apoio da Hughes, através da internet banda larga via satélite HughesNet. Essa tecnologia poderá servir de suporte aos dispositivos IoT implementados nas dezenas de veículos da equipe técnica que organiza o rally. “O desenho da rede inclui 4 acessos à internet via satélite HughesNet”, detalha De Simoni. Os pontos de acesso serão instalados próximos à sala da organização do rally, ao lado do TechTruck2Go e do mochilink da TV Sertões. A conexão via satélite HughesNet colabora para que o Sertões ocorra de forma segura, digitalizada e com a máxima performance tanto na trilha, como na retaguarda tecnológica. “A soma dos 4 acessos via satélite HughesNet com provedores ISPs localizados ao longo do trajeto da disputa e redes 3G ou 4G que atuam como back-up garantirão uma excelente UX (user experience) às 1500 pessoas que acompanharão o Rally dos Sertões”, explica De Simoni.

 

O time Go2neXt integrou em seu projeto, também, soluções da Cisco/Meraki, responsáveis pela tecnologia que suporta os balanceadores, os acessos a usuários Wi-Fi e parte da segurança de rede. Estes equipamentos ainda sinalizam a equipe do NOC da Go2neXt, em São Paulo, garantindo a alta disponibilidade dos serviços.

 

CARROS INTELIGENTES – A Smart Driving Labs fornecerá tecnologia de telemetria. Inserida nos veículos Mitsubishi Motors, cedidos pela montadora à organização do rally, a solução permitirá o monitoramento, em tempo real, de parâmetros vitais como velocidade média, freadas bruscas, eventuais problemas no percurso, entre outros.

 

Fernando Schaeffer, CEO da Smart Driving Labs, destaca o intuito da solução, de contribuir para que os motoristas dirijam com mais segurança. Outra consequência é a economia de cerca de 35% no custo de manutenção. Pela própria natureza da tarefa, a frota de apoio costuma ser entregue com muitos danos. O dado é referente ao ano passado em comparação com 2018 – quando os veículos não tinham a solução embutida.

 

MAIS RECURSOS – Sete equipes optaram por utilizar o Amplimax, da Elsys, para turbinar a conexão com a internet. Por meio de parceiros da companhia, os times da X Rally Team, Bianchini Rally, Mem Motorsport, Leandro Torres, FD Rally Team, Yamaha IMS Rally Team e Minuano Rally Team adquiriram 12 modens Amplimax. Os dispositivos foram adaptados em maletas para facilitar o transporte e oferecer estabilidade e elevar o desempenho das redes móveis em até seis vezes.

 

“A utilização do Amplimax será fundamental em todas as etapas da competição, pois seremos informados pela organização por quais cidades deveremos passar durante o percurso. Além disso, a solução será útil para nos conectarmos com o nosso time de engenharia, que, mesmo de forma remota, trabalha junto conosco para termos a melhor performance possível na competição”, comenta Daniel Fink, integrante da equipe X Rally Team.

 

Homologado pela Anatel, o acesso à rede banda larga é feito por meio da antena heptaband de longo alcance que se conecta às torres de telefonia móvel. A conexão à rede móvel que é feita através de 4G, 3G ou até mesmo 2G, sempre é realizada durante as paradas pelas cidades do circuito. Basta direcionar o equipamento para as torres disponíveis na região. (texto: Franco Tanio/foto: Cadu Rolim/divulgação)

© 2021 All Rights Reserved – Go2next Digital Innovation